By - - 0 Comentários

A Comlurb removeu cerca de 32,4 toneladas de peixes na Lagoa Rodrigo de Freitas, zona sul do Rio, desde a última quinta-feira (9). Esse número foi atualizado às 17h15 desta última terça-feira. Segundo a empresa, uma equipe com 62 garis por turno foi mobilizada para atuar na retirada dos peixes mortos.

Ainda segundo a Comlurb, desse efetivo, 50 trabalham no entorno, quatro utilizando o pulverizador com essência de eucalipto, e 12 garis trabalham embarcados em dois catamarãs. Em nota, a empresa informou que os trabalhos na área continuam até mortandade ser cessada.

Na segunda-feira (14), a Secretária Municipal do Meio Ambiente informou que a mortandade é resultado das chuvas recentes na cidade, que geraram uma alta variação de temperatura na água e um aumento no nível do oxigênio dissolvido. Os peixes coletados são da espécie Savelha, conhecida pela alta sensibilidade à variações ambientais.

O órgão também informou que, embora os índices de concentração atuais sejam considerados dentro dos padrões naturais (o oxigênio passou dos 8 mg/L normais para 10.9 mg/L com 50 cm de nível da água), a bandeira vermelha está hasteada no local. A situação deve continuar por mais alguns dias. Segundo a secretaria, as chuvas que ocorreram na semana passada e a ressaca do mar possibilitaram uma grande entrada de água na lagoa, o que gerou um choque térmico. A variação de temperatura foi de até menos 4°C em pouco espaço de tempo.

As equipes da secretaria, em conjunto com agentes da Comlurb e da Rio Águas monitoram a lagoa.

Fonte: Site R7 Notícias, 14/04/2015