By - - 0 Comentários

 

A cada dia que passa, a nossa surpresa vai diminuindo, vai nos anestesiando e ao mesmo tempo, aumentando a nossa compreensão e entendimento do jogo sujo que envolve algumas concorrências e licitações. Não somos nós que estamos falando, basta ligar a TV em um canal de notícias sério, que está lá para todos verem. Este processo está cada vez mais vergonhoso.

Imaginava-se que a razão pelo qual algumas empresas, apesar de serem compostas por uma equipe altamente técnica e competente (doutores, engenheiros, geólogos e outros profissionais) não conseguiam crescer, fosse por mera incompetência comercial – talvez até administrativa; já que outras concorrentes prosperam com a realização de grandes acordos e contratos de prestação de serviço, tornando-se atrativas ao ponto de serem incorporadas por empresas estrangeiras – GRANDE ENGANO.

Quantas empresas sérias já não pensaram em encerrar suas atividades, já que não conseguem realizar grandes negócios? Sem falar na atual crise que veio de vez para aniquilar o Brasil, situação essa, que essas empresas não sobreviveriam.

Atualmente, a GR Engenharia – Meio Ambiente sobrevive com pequenos negócios, trabalhando sério, com empresas sérias, sobrevivendo apesar da crise, mas com um grande diferencial, todos os profissionais conseguem dormir sossegado, com certeza. Não estamos aparecendo na mídia, não somos foco em notícias policiais e nem somos flagrados com dois homens de preto aos nossos lados, de braços dados nos levando para a PF.

Estou certo de que como a GR EngenhariaMeio Ambiente, existem outras que sofrem do mesmo mal. Não tem e nunca terão influência política, apadrinhamentos e outros quesitos mais, com o intuito de liberar ou captar serviços a troco de comissão ou assemelhados.

Por outro lado, renascem as nossas esperanças, de que um dia, ser honesto neste país terá suas recompensas. Pensamos que as outras empresas que atuam de forma honesta, que sofrem do mesmo mal que a nossa, vão com certeza, não quererem mais conviver com estes lacaios, malfazejos e maléficos. Vão, de uma vez por todas, expurgar estas escórias e lixos corruptos de nossa convivência e meio. Temos que ter como foco, o começo da volta da valorização dos princípios éticos e morais, passando a viver com honra e dignidade neste país, hoje destruído de todos os lados.

Esta forma corrompida de negócios, nos leva até a duvidar da qualidade dos serviços que esta corja presta, desde grandes construções até prestações de serviços ligados à nossa área – Meio Ambiente. Será que estes corruptos e corruptores não estendem as suas generosidades também na alteração dos laudos de contaminação para favorecer o corruptor? Será? Por mais de uma vez, fomos substituídos de um trabalho de Investigação de Solo, por empresas que “eram amigas do rei, ou do diretor do rei, ou político chegado ao rei” – e, portanto, os trabalhos por meio dos relatórios, poderiam e seriam elaborados de uma maneira mais, vamos assim dizer, convenientes ao rei.

Qual é o inicio da volta da moralidade? Bastam as empresas sérias não prestarem mais serviços de qualquer espécie às essas empresas corruptas e continuar a não participar de falcatruas, como aliás sempre foi a nossa conduta.

Lembram do ditado das laranjas, que costumávamos ouvir de nossos ancestrais? Pois é, está mais que na hora de tirarmos as laranjas podres do saco.

Este país pode se tornar viável, só depende de nós.

 

Fonte: GR EngenhariaMeio Ambiente – 19/12/2015